quarta-feira, 6 de março de 2013

Inclusão


Amigas,  gostaria de deixar aqui a minha impressão como educadora...
Uma reflexão sobre justiça e igualdade...
Quando pensamos nos nossos filhos na escola, queremos que eles sejam tratados com justiça ou com igualdade?
E qual é mesmo a diferença entre justiça e igualdade? Por que não podemos ter os dois ao mesmo tempo? 
Por que a inclusão dos nossos filhos na escola nos coloca na situação de escolher entre a justiça e a igualdade?
Estou enrolando mas vou explicar...
A primeira imagem mostra justiça não é mesmo? Todos estão sendo tratados como igual, tem direito de receber um caixote e o recebem... Justiça? Isso não é justiça! Isso é igualdade, estamos tratando todos igualmente, sem analisar o indivíduo e suas característica...
Nessa imagem, as três crianças tem um objetivo, que só é atendido na segunda figura, o objetivo é ver além do muro...
Ser justo é dar oportunidade para que todos atinjam os objetivos propostos!
Quais seriam esses objetivos quando falamos de escola?
1. Viver em sociedade
2. Aprender a respeitar as diferenças
3. Fazer amigos
4. Participar de atividades coletivas
5. Ganhar habilidades e desenvolver competências

Excluir o aluno na hora da refeição fere os objetivos escolares, excluir é abrir uma porta para transtornos sociais (timidez, vergonha, bullying, ansiedade), atrapalha o desenvolvimentos das habilidades e competências, do fazer amigos, do viver em sociedade, atrapalha a compreensão do respeitar as diferenças.

Todos perdem, o alérgico perde, os alunos perdem, a escola como um todo deixa de evoluir, de  transcender... Enfim, temos perdas diversas e nenhum ganho!

Claro que como mães queremos proteger nossos filhos, evitar reações alérgicas é evitar sofrimentos físicos, mas superproteger é causar sofrimentos na alma, esse não passa com a idade, esse pode deixar marcas eternas... Não é isso que nós desejamos!

As crianças no ambiente escolar não possuem ainda a competência de sozinha se impor, de exigir que sejam tratadas com justiça, no ambiente escolar a criança é a parte frágil...

Sendo frágil ela precisa ser tratada como tal, o ambiente precisa ser preparado para ela, as pessoas ao redor precisam estar preparadas para acolhê-las e acolhê-las é diferente de protegê-las.

Uma criança com alergia alimentar ou com qualquer outra restrição física, motora ou mental precisa de inclusão no ambiente escolar, e ser incluído é ser tratado corretamente diante de suas necessidades por TODOS, alunos, professores e equipe gestora.

Isso significa no caso da alergia em cuidados que vão desde limpar a mesa utilizada pela criança a conscientizar todos os alunos da necessidade de não dividir o lanche, cuidar para que a criança perceba que ela é diferente, assim como todos são, afinal não somos mesmo iguais não é mesmo?

E para completar gostaria de refletir com vocês sobre alguns pontos:

1. Do que adianta uma criança ir à escola se ficar isolado dos demais? 
2. Por que ir a escola se lá não será possível aprender a respeitar as diferenças?
3. É útil ir a escola se lá não tivermos amigos que nos acolham?

Na escola não é diferente da nossa casa, lá a hora da refeição é a hora de estar com os nossos, de brincar, de falar bobagens, de rir... Ir para a escola e não participar disso é como ser castigado e ter que jantar no quarto por que fez algo errado...
Amigas, gostaria de deixar aqui a minha impressão como educadora...
Uma reflexão sobre justiça e igualdade...
Quando pensamos nos nossos filhos na escola, queremos que eles sejam tratados com justiça ou com igualdade?
E qual é mesmo a diferença entre justiça e igualdade? Por que não podemos ter os dois ao mesmo tempo?
Por que a inclusão dos nossos filhos na escola nos coloca na situação de escolher entre a justiça e a igualdade?
Estou enrolando mas vou explicar...
A primeira imagem mostra justiça não é mesmo? Todos estão sendo tratados como igual, tem direito de receber um caixote e o recebem... Justiça? Isso não é justiça! Isso é igualdade, estamos tratando todos igualmente, sem analisar o indivíduo e suas característica...
Nessa imagem, as três crianças tem um objetivo, que só é atendido na segunda figura, o objetivo é ver além do muro...
Ser justo é dar oportunidade para que todos atinjam os objetivos propostos!
Quais seriam esses objetivos quando falamos de escola?
1. Viver em sociedade
2. Aprender a respeitar as diferenças
3. Fazer amigos
4. Participar de atividades coletivas
5. Ganhar habilidades e desenvolver competências

Excluir o aluno na hora da refeição fere os objetivos escolares, excluir é abrir uma porta para transtornos sociais (timidez, vergonha, bullying, ansiedade), atrapalha o desenvolvimentos das habilidades e competências, do fazer amigos, do viver em sociedade, atrapalha a compreensão do respeitar as diferenças.

Todos perdem, o alérgico perde, os alunos perdem, a escola como um todo deixa de evoluir, de transcender... Enfim, temos perdas diversas e nenhum ganho!

Claro que como mães queremos proteger nossos filhos, evitar reações alérgicas é evitar sofrimentos físicos, mas superproteger é causar sofrimentos na alma, esse não passa com a idade, esse pode deixar marcas eternas... Não é isso que nós desejamos!

As crianças no ambiente escolar não possuem ainda a competência de sozinha se impor, de exigir que sejam tratadas com justiça, no ambiente escolar a criança é a parte frágil...

Sendo frágil ela precisa ser tratada como tal, o ambiente precisa ser preparado para ela, as pessoas ao redor precisam estar preparadas para acolhê-las e acolhê-las é diferente de protegê-las.

Uma criança com alergia alimentar ou com qualquer outra restrição física, motora ou mental precisa de inclusão no ambiente escolar, e ser incluído é ser tratado corretamente diante de suas necessidades por TODOS, alunos, professores e equipe gestora.

Isso significa no caso da alergia em cuidados que vão desde limpar a mesa utilizada pela criança a conscientizar todos os alunos da necessidade de não dividir o lanche, cuidar para que a criança perceba que ela é diferente, assim como todos são, afinal não somos mesmo iguais não é mesmo?

E para completar gostaria de refletir com vocês sobre alguns pontos:

1. Do que adianta uma criança ir à escola se ficar isolado dos demais?
2. Por que ir a escola se lá não será possível aprender a respeitar as diferenças?
3. É útil ir a escola se lá não tivermos amigos que nos acolham?

Na escola não é diferente da nossa casa, lá a hora da refeição é a hora de estar com os nossos, de brincar, de falar bobagens, de rir... Ir para a escola e não participar disso é como ser castigado e ter que jantar no quarto por que fez algo errado...

3 comentários:

  1. Lindo!!! Compartilho do mesmo sentimento!!! Seria mais fácil se as pessoas começassem a respeitar que as pessoas sao diferentes e que cada qual precisa de necessidade diferenciada...
    Conversava com uma amiga esses dias, a qual foi chamada à direção da escola, pois seu filho esta atrasado com o controle das suas necessidades, e os amiguinhos estao tirando brincadeira dele! Eu pergunto: Quem esta errado ele ou os amiguinhos ou a escola? Ele so tem 3 anos... para mim esta biologicamente normal..... Nem todos obtem o controle do xixi e coco ao mesmo tempo.... mas para escola se a maioria já tirou a fralda, entao todos tem que tirar!!!! Imagina em relaçao a uma alergia alimentar que foge do entendimento de muitos! Por essas razoes estou postergando o ingresso da minha filha na escola! Ela tbm tem Alergia alimentar!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, gostei muito do artigo!
    Tomei a liberdade de compartilhar no meu face.
    Bjs..

    ResponderExcluir
  3. Como pensar neste artigo no ambiente famíliar? Poderia me ajudar?
    As vezes sem querer
    As vezes sem saber
    As vezes sem conhecer a alergia alimentar

    Um ato feito
    Um risco corrido
    Um fato consumado

    Ou
    Uma palavra proferida
    Um carinho negado
    Um ato que é direito seu...

    Incompreendido
    Por amor relevado
    Mas ainda assim...

    Como preparar tios, tias, avós, primos para tudo isso? E porquê na igualdade alguns são mais iguais do que outros? Isso será justiça...?
    Beijos.
    Te amo.

    ResponderExcluir